LISTA DE TRABALHOS APROVADOS

 Comunicações Coordenadas

Data: 14 /11 /19

Local: Auditório 2 - Bloco Principal

19h30min 

1) TEORIA DA POLIDEZ 

Acadêmico: João Gustavo de Oliveira 

Orientadora: Profa. Ma. Aline Cristina Flávio da Silva

Este trabalho apresenta uma análise pragmática à luz da Teoria da Polidez de uma correspondência encaminhada a um jornal do interior de Minas Gerais para publicação na coluna "Do Leitor". Em síntese, a pragmática considera a intenção dos falantes, levando em conta o aqui e o agora no momento da comunicação. No ato comunicativo - das palavras aos gestos dos indivíduos - este campo teórico explora noções de polidez, de cooperação, de relevância, refletindo, por exemplo, o que um falante quer dizer quando diz uma determinada palavra ou quando faz um determinado gesto. Dentre essas ações está a "Teoria da Polidez", de Penelope Brown e Stephen Levinson (1987), que avalia a interação dos indivíduos, verificando se há preocupação em manter certo controle da situação e se esforçam para anular possíveis agressões ou conflitos, submetendo, assim, à polidez positiva ou utilizam da polidez negativa ou indireta, violando ainda algumas máximas conversacionais (GRICE, 1982). Deste modo, busca-se com este trabalho verificar os mecanismos de polidez ou impolidez linguística do leitor ao opinar acerca de um posicionamento da associação comercial do município, que é contrária a um feriado.

2) CARTOGRAFIA SOCIODISCURSIVA DO FEMINICÍDO: UM ESTUDO DAS PRODUÇÕES DAS NOTÍCIAS SOBRE OS CRIMES CONTRA A MULHER EM PASSOS E REGIÃO 

Acadêmica: Rubiana Pereira de Oliveira Santos

Orientadora: Profa. Dra. Michelle Aparecida Pereira Lopes

O feminicídio é um grave problema enfrentado no Brasil, sendo ele um dos maiores responsáveis pelas mortes violentas de mulheres no país. Apesar disso, muitas vezes esse tipo de crime é banalizado pelos veículos de comunicação de massa. Considerando a importância dos discursos que circulam na mídia para a formação de opinião, este projeto, embasado no campo da AD, sobretudo nas contribuições do filósofo Michel Foucault, objetiva a elaboração de uma cartografia sociodiscursiva, na qual será realizada uma análise das construções das narrativas sobre os crimes contra as mulheres no município de Passos, MG e região, nos últimos cinco anos. O projeto adota a análise discursiva de enunciados para apontar e catalogar as regularidades enunciativas que tendem a legitimar e naturalizar os crimes cometidos contra as mulheres, visando promover discussões e reflexões sobre o sentido destes enunciados, colaborando para descontinuá-los. Como resultado parcial do projeto, após as primeiras análises, foi possível observar que em algumas matérias que noticiaram crimes contra as mulheres nos jornais de Passos, MG e região, houve a ausência do termo feminicídio, apesar da Lei do Feminicídio ter sido promulgada em 9 de março de 2015, sendo usado o termo "crime passional", que vem de um Código Civil antigo, que considerava a mulher como uma propriedade do marido, e que visa diminuir a culpa do agressor, levando o leitor a entender que o assassino não representa perigo para a sociedade, pois ele apenas cometeu o crime porque foi movido pela paixão. Além disso, é possível notar que uma parcela da sociedade ainda espera que as mulheres se enquadrem em determinados modelos e comportamentos sociais, assim como a crença arraigada de que o homem tem poder e domínio sobre o corpo dela e, sendo assim, quando isso não ocorre, pode haver uma justificativa pelo crime cometido. Diante destas informações, podemos afirmar que os jornais de Passos, MG e região ainda preferem configurar estes crimes como passionais, apesar da existência da Lei do Feminicídio, noticiando-os de uma maneira que acirra as desigualdades de gênero, colaborando para a perpetuação do discurso de dominação dos homens sobre as mulheres. Desse modo, é preciso uma conscientização quanto à elaboração das narrativas dos feminicídios e demais crimes contra as mulheres: tais narrativas não devem usar estratégias que possam ocultar o agente, tampouco utilizar vocábulos que permitam que tais crimes possam ser justificados; ao contrário, devem estimular a reflexão sobre as causas desse tipo de violência. 

3) A BUSCA PELO "CORPO PERFEITO": OBJETIVAÇÃO E SUBJETIVAÇÃO NO DISCURSO DIDATIZADO DA REVISTA BOA FORMA 

Gabriela Vilela ANDRADE

Orientadora: Profa. Dra. Michelle Aparecida Pereira Lopes 

A revista 'Boa Forma' é considerada um "guia" no ambiente das academias de ginásticas e nas salas de nutricionistas. Frequentemente, as capas de 'Boa Forma' apresentam enunciados que podem ser considerados didatizados. A análise, que tem por base os estudos de Michel Foucault e Jean-Jacques Courtine, busca observar como se constitui o discurso sobre o corpo considerado "perfeito", "bonito" e "invejável". Essa pesquisa considera o corpo malhado, chamado "sarado" e/ou "saudável", sendo o primeiro caracterizado pelo mercado midiático e o segundo pela medicina, como um local de inscrição discursiva. Nesse sentido, pode-se dizer que o sujeito "malhado", "bonito", "sarado", "desejável" e "saudável" é caracterizado histórico socialmente, pois, é nomeado segundo os dizeres de todos os discursos já proferidos e instituídos sobre o corpo ao logo do tempo. Observando-se os discursos presentes nos enunciados das capas da revista Boa Forma, pode-se perceber que na sociedade contemporânea, tem-se instaurada a necessidade de ser magro, ter "barriga chapada", "cintura fina" e "bumbum durinho". Criou-se assim, a ideia de que somente as mulheres que preenchem fielmente esses requisitos, serão aceitas socialmente e, consequentemente belas, felizes e saudáveis. Por conteúdo didatizado, entende-se aquele que se ocupa de ensinar a mulher a ser disciplinada, conhecedora dos alimentos, frequentadora de academia, consumidora de chás. Enfim, aquele que se propõe a ensinar algo a alguém. Não bastando, quando a revista em questão classifica e separa o corpo que é considerado "bonito" do corpo que é considerado "feio", ela está reforçando o processo de objetivação e consequente subjetivação do sujeito já que cria categorias e/ou padrões nos quais o sujeito é, ou não, classificado e inserido. Na revista, a subjetividade é instituída quando a mulher percebe a si mesma na relação do seu corpo com o corpo exibido pela revista, ou seja, relação sujeito-objeto. Concomitantemente a isso, o sujeito leitora, torna-se um objeto para conhecimento, assim é feita a objetivação. A objetivação e a subjetivação são, portanto, processos complementares, que na revista Boa Forma, são formados a partir da didatização de seus enunciados.

4) PROJETO CINE ESCOLA: A PRODUÇÃO AUDIOVISUAL COMO FERRAMENTA DE ESTÍMULO CULTURAL 1 Palavras-chave: cinema, educação, audiovisual, cultura, vídeo 

Acadêmico: Lucas Oliveira de Jesus 

Orientadores: Prof. Esp. Diego De Simoni Vasconcelos; Prof. Me. Jean Carllo De Souza Silva

Tudo o que aprendemos durante o processo educacional é importante para a nossa formação sociocultural enquanto seres sociais. O cinema integra essa bagagem sociocultural, não podendo ser descartado como parcela que compõe o que chamamos de prática social - todo o conhecimento que armazenamos ao longo da vida. Se o cinema enquanto prática social constitui-se como um instrumento de representação das expressões humanas proporcionando um conhecimento mais profundo, é possível constituir uma educação interdisciplinar utilizando o audiovisual como instrumento didático-pedagógico para expor conteúdos quanto para ilustrar conceitos e representar experiências. Atribui-se a linguagem educacional atual o desafio de reconhecer que o audiovisual faz parte do cotidiano das crianças e dos jovens, e explorar novas alternativas para incluí-lo dentro dos conteúdos didáticos. Pensando nisso, com financiamento do edital PAEx 01/2018 da UEMG, o Projeto Cine Escola, realizado durante o ano de 2018, proporcionou aos estudantes do ensino médio público de Passos/MG o conhecimento cinematográfico da produção audiovisual por meio de atividades práticas e teóricas. A iniciativa estimulou a criação artística e a expressão cultural dos jovens participantes, levando em consideração a identidade do adolescente e a cultura da comunidade na qual está inserido. Para cumprir seu objetivo, o projeto foi separado em três etapas: Inicialmente, a equipe executora elaborou o conteúdo educativo das atividades, divulgou a proposta do projeto para as coordenações pedagógicas das escolas e convocou os estudantes interessados na atividade. Em seguida, os estudantes selecionados receberam aulas e oficinas sobre o processo de produção audiovisual e a criação cinematográfica. Adiante, com auxílio da equipe executora os jovens realizaram suas próprias produções audiovisuais em formato de curta-metragem. O principal referencial teórico do projeto é o conceito de "Educomunicação", entendido por Ismar de Oliveira Soares (2012), no qual os recursos tecnológicos e a comunicação em massa são aplicados como elementos de educação. Além disso, foi utilizado como referência o artigo "Lendo imagens criticamente: em direção a uma pedagogia pós-moderna", de Douglas Kellener (1995) e entre outros materiais. O projeto se encerrou em dezembro de 2018 com a realização da I Mostra de Cinema Estudantil - Projeto Cine Escola no Auditório Casa da Cultura de Passos. O evento aberto para toda a comunidade do município realizou a exibição de quatro curtas-metragens produzidos pelos participantes ao longo do projeto. A atividade extensionista fez com que os alunos tivessem uma experiência criativa e reflexiva do audiovisual, descobrindo-o como forma de se expressar e criou uma relação entre o estudante e o audiovisual, onde invés de ser somente um espectador, o jovem passa a ser o criador e produtor das imagens.


IV SEMINÁRIO DO PIBID

Data: 14 /11 /19

Local: Auditório 1 - Bloco Principal

19h30min

1) Breve reflexão sobre o subprojeto PIBID/UEMG Letras Língua Portuguesa/Passos em seu contexto sócio histórico

Professor Dr. Fernando Salomon Bezerra

Tendo como ponto de partida o entendimento de práxis como ação realizada por uma pessoa que a põe em condição de tratar o real pelo simbólico (LACAN, 2008), o subprojeto Letras Língua Portuguesa PIBID/UEMG/Passos, integrante do Projeto Institucional PIBID/UEMG, tinha por objetivo inicial mapear e diagnosticar o uso das tecnologias da informação e comunicação na prática educacional de uma escola da rede pública (Educação Básica) da cidade de Passos, a fim de investigar de que maneira é tratada a questão dos gêneros do discurso (BAKHTIN, 2016) obtidos na World Wide Web, e sua relação com a noção de ideologia (ALTHUSSER, 1980).A presente comunicação objetiva apresentar uma sucinta reflexão sobre o desenvolvimento deste subprojeto, tendo como eixo considerações sobre sua intenção inicial e sua efetiva realização. Sem deixar de considerar o contexto sócio histórico em que foi desenvolvido, caracterizado por drásticas mudanças nas políticas educacionais do país.

2) Leitura e produção de crônicas no ensino médio

Acadêmica: Laura Maria de Oliveira Madeu 

O presente trabalho visa relatar os resultados obtidos no desenvolvimento de oficinas sobre o gênero textual crônica realizadas no 1° ano do Ensino Médio, com alunos entre 14 e 16 anos, em uma escola da rede estadual de Passos- MG. A condução das oficinas norteou-se pelos seguintes objetivos: incentivar a leitura literária por meio do gênero crônica; oferecer ao aluno a capacidade de identificar o gênero pela sua estrutura e funcionalidade; fazer o aluno utilizar a língua escrita conforme o contexto da produção textual e contribuir para a formação do seu senso crítico e reflexivo. A escolha do gênero crônica como foco central destas oficinas partiu da crença na humanização que este gênero oferece. Conforme Candido (2003), o cronista acolhe e aproxima o seu leitor do texto, trazendo sensibilidade à realidade do indivíduo.

3) Novas metodologias: interdisciplinaridade em prática com o PIBID - Um relato de experiência

Acadêmico: Bruno Mariotti 

Esta comunicação tem como objetivo relatar a experiência das oficinas desenvolvidas no âmbito do subprojeto de Letras Português da UEMG Passos. Ocorridas no período de Setembro de 2018 até o presente momento, foi desenvolvida uma oficina por semana em sua primeira fase na E. E. Júlia Kubitschek - escola central com perfil de alunos diversificado, abrangendo diferentes bairros - e na segunda fase, na E. M. Jalile Barbosa Calixto - escola periférica com perfil de alunos, em sua grande maioria, com alguma vulnerabilidade social - propondo novas metodologias interdisciplinares de ensino com ênfase em técnicas teatrais.


4) Relatos e análises de experiência do PIBID/UEMG/Passos

Acadêmicas: Laura Tamires da Silva; Lilandra Aparecida Vilela 

A presente comunicação pretende relatar experiências vivenciadas no âmbito do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), subprojeto Letras Língua Portuguesa UEMG/Passos-MG, apresentando uma reflexão das bolsistas sobre o desenvolvimento de duas atividades desenvolvidas na Escola Municipal Professora Jalile Barbosa Calixto, para alunos do 7° ano do ensino fundamental, no período de março até novembro de 2019. Para esta comunicação escolhemos apresentar o resultado das oficinas ressaltando o objetivo geral das ações, a metodologia utilizada em cada atividade proposta e nossa avaliação dos trabalhos realizados.